O papel dos renegados na publicidade negativa

Ao longo de sua vida, Dr. Plinio sempre precisou lidar com campanhas de calúnias, falsidades e lorotas levantadas contra ele. Na verdade, isso foi desde a juventude, quando iniciou sua participação ativa nos meios católicos, como defensor da ortodoxia, da Hierarquia e, muito especialmente, do Papado.

Essas difamações começavam, em geral, com antigos seguidores, e, com o passar do tempo, ele as denominou ‘estrondos publicitários‘. Essas campanhas encontraram na maioria das ocasiões um apoio propagandístico desproporcionado para a baixeza das acusações, em sua maioria sem provas concretas.

Entretanto, bastava ele publicar a contestação das denúncias para, como por mágica, desaparecer a barulhenta ostentação publicitária – igual o barulho de um trovão, que assusta, mas depois some tão subitamente como surgiu. Daí ele denominá-los de estrondos.

E nesses ‘estrondos’, existe um ‘peso’ diferente no ataque feito por um egresso de qualquer grupo ideológico ou religioso? Claro que sim. Por incrível que pareça, esse assunto já foi estudado por cientistas da atualidade. Numa refutação que escreveu em 1985 (Guerreiros da Virgem: a réplica da autenticidade. A TFP sem segredos), Dr. Plinio reproduziu a seguinte citação relativa à credibilidade dos apóstatas, oriunda de um estudo de psicólogos, sociólogos e advogados realizado nos Estados Unidos, onde o mito da lavagem cerebral fez furor na mídia durante algumas décadas:

“O papel do apóstata, que tem sido largamente negligenciado pelos sociólogos, tem um peso significativo para desacreditar um grupo dissidente e para justificar medidas de controle social. Como um indivíduo que abandonou a fé à qual aderia anteriormente, o apóstata é uma valiosa fonte de informação e pode representar o papel de testemunha “astro” em processos públicos ou em campanhas de propaganda contra o grupo. Pode revelar atividades e segredos internos do movimento, de forma a confirmar as suspeitas e as alegações contra este, condená-lo com um conhecimento e uma certeza que os de fora não podem ter, e reafirmar os valores da sociedade convencional, ao confessar voluntária e publicamente o “erro” ou seus caminhos.

Os apóstatas contribuem substancialmente para o teor inverossímil dos contos de atrocidades. Tendo desprezado os valores do sistema dominante, o apóstata dificilmente pode esperar reconquistar sua aceitação na sociedade convencional mediante a simples manifestação de que já perdeu o interesse pelo grupo dissidente. Cabe a ele mostrar, de modo convincente, que sua reafirmação dos valores dominantes é autêntica, que ele compartilha com os demais os sentimentos de desaprovação em relação àquele grupo, e que seu compromisso anterior não era sincero.

“Juntamente com uma confissão pública aceitável, o apóstata sente provavelmente alguma necessidade de explicar sua própria conduta. Outros poderão perguntar: se o grupo é tão manifestamente mau como ele agora afirma, por que ele abraçou essa causa anteriormente? Na tentativa de explicar como fora seduzido, e confirmar os piores temores em relação ao grupo, o apóstata é levado a pintar uma caricatura do grupo, que é elaborada mais pela sua condição atual de apóstata, do que por suas reais experiências do grupo. (BROMLEY, David G.; RICHARDSON, James T (Ed.). The Brainwashing-Deprogramming Controversy: Sociological, Psychological, Legal and Historical Perspectives. New York-Toronto: Edwin Mellen Press, 1983, v.V, p.156.)

A análise dos sociólogos, psicólogos e advogados que assinam esse estudo deixa claro que, em termos de valoração, os depoimentos contrários de egressos tem muito pouco peso num julgamento sério sobre doutrinas ou comportamentos os quais ele visivelmente passou a detestar.

Assim, o principal motivo pelo qual se deve ter desconfiança é que, para ganhar reconhecimento, o apóstata tem necessidade de ‘carregar as tintas’ da sua rejeição, exagerando e apresentando uma CARICATURA daquilo que ele viveu.

108 comentários sobre “O papel dos renegados na publicidade negativa

  1. Gostei muito desse post.Li toda a polêmica entre o Leonardo e os membros do Blog e vi que os que estão do lado dos Arautos estão bem preparados para a polêmica.Achei que o Leonardo perdeu a discussão.Os Arautos estão certos.

  2. E ainda tem alguns questionamentos que o Eliseo fez que ele não respondeu… Mas cá entre nós Eliseo e Letícia, é melhor pegar leve com o Leonardo porque ele não está conseguindo responder nada, quando está encurralado parte para ofender e não explicita nada.
    Leonardo com toda educação, pelo encarecidamente para responder as perguntas da Letícia e do Eliseo primeiro aí depois continuaremos numa boa paz. Pode ser?

          1. Leonardo, Leonardo. Basta rever meus comentários. É simples… Mas acho melhor você parar por aqui. Já está ficando difícil para você. Está embromando muito e não vai lhe fazer bem isso. E apenas para ajudar (não é nenhuma correção para debochar) o verbo adequado é REESCREVAS.

          2. Eu nao estou “embromando” nada. Se voce não quer continuar com a discussão, tenha a liberdade de sair, não estou segurando ninguém. Eu entrei nesse “twiter” a convite de voces na internet que eu aceitei.

  3. Nossa o Leonardo ofende os outros e quando lhe dão resposta a sua altura diz que fazem “ofensas e vitupérios”… E ainda complementa com o ridículo KKK.

    Mas até agora não respondeu a Letícia e o Eliseo sobre a Ir. Lívia e nem a Letícia e o moderador do blog a respeito do SDP na Missa nova. E ainda diz que “não adianta” discutir com os ex-arautos que são donos da verdade…. E ainda tenta corrigir o erro de escrita de um e comete um monte de lapsos na escrita em quase todas as suas mensagens…

  4. Dr. Plinio nunca assistiu missa nova, com exceções (tem uma foto de ele assistindo missa nova na Catedral da Sé), vou mandar para o admin para ver se pode publicar aqui (estes comentários não permitem anexos).
    Mas os provectos disseram que por razões de conveniência social pode. Fariseus hipócritaaaas…
    Estive num casamento dentro da missa (nova), com a presença do ínclito presidente do IPCO, Dr. Adolpho. Bem sabemos que ele é mais flexível para essas coisa… talvez por isso foi “escalado” para presidir a fachada do IPCO. Conselhos vendo que para mim não tenho… dizem os provectos quatrocentões…

    1. E aí Leonardo, “educadamente” falando como fica a questão do “nunca assistiu” e o que a Letícia explicou na sua última mensagem? “Educadamente” aguardo a sua explicação, pois como você mesmo disse estamos partindo para fatos e dados concretos novamente… Ah, fique tranquilo, que não vou responder como você com o KKKKK…….

    2. Estou vendo nesses escritos só preconceito social da sua parte, voce fala dos quatrocentões e dos senhores “provectos” em tom de desprezo, linguagem herdada do Monsenhor JC que não se aguentava com a classe alta da TFP. A inveja social é um problema complicado viu, é fermento de revoltas profundas, é ódio contra as legítimas desigualdades que Deus, nos acidentes, diferencia as pessoas. Uns são plebeus, outros Ele quis que fossem aristocratas como é o caso dos “quatrocentões” tão queridos de Dr. Plinio e desprezados por voce em sua mensagem. Deus quis as classes sociais. Ele faz uma criança nascer em berço de ouro, outra Ele quis que nascesse na favela e o humilde deve reconhecer a superioridade no outro que foi agraciado por ter nascido numa familia de 400 anos, enquanto o outro não tem nenhuma história de família para contar, por exemplo um migrante que veio se aventurar no Brasil atravessando o Atlantico num porão de navio mercante qualquer. Assim é a vida e a gente deve reconhecer as superioridades vindas da hereditariedade sob pena de cometer pecado de inveja e revolta contra Deus em relação às diferenças sociais criadas por Ele. Leiticia, eu não tenho a menor idéia de quem é voce, não te conheço. Não sei se voce é de boa familia ou é pessoa simples. Te respeito sendo de classe social alta ou sendo de origem operária, humilde. Mas eu gostaria de lhe dar um conselho de quem lhe quer bem, ja que, em eelação a Dr. Plinio tanto voce, quanto eu, concordamos. Meu conselho: leia com atenção dois livros que Dr. Plinio escreveu: a “Revolução e a Contra-Revolução” e “Nobreza e Elites Tradicionais Análogas nas Alocuções de Pio XII ao Patriciado e à Nobreza Romana”. Trata-se dos livros mais importantes que ele escreveu na vida. Não vai mentir que leu hein!

      Desculpe por eventuais erros, escrwvo-lhe rapidamente em horas vagas, com muito prazer. Peço desculpas se lhe fiz em mensagens anteriores qq desrespeito. Abraço de quem lhe quer bem.

      1. Leonardo, agradeço seu primeiro comentário educado. Vamos, então, a elevar o nível da conversa.
        O senhor foi tirando conclusões um pouco precipitadas sobre meu uso da palavra quatrocentões, muitas vezes usadas pelo Sr. Dr. Plinio no mesmo sentido, não pejorativo, que eu usei aqui. É meramente descritivo. É um modo coloquial de nomear as famílias de quatrocentos anos de São Paulo às quais ele não poupou severas críticas, como não as poupou a reis, papas, bispos e outros potentados, quando se tratava de defender o que há de mais importante, a fidelidade à Lei de Deus e a seu plano. Nem por isso ele era igualitário. Eu também me considero ferrenha defensora das desigualdades mas, em união com o Sr. Dr. Plinio, sei que o que eleva mais a pessoa é a santidade. Sim, porque li isso no livro da Nobreza e o inferi de muitos trechos da RCR, ambas obras lidas não uma, mas muitas vezes. Esclarecido este ponto, peço-lhe que retorne a meu comentário anterior e, em vez de desviar o tema, trate do que consta nele. Assistir missa nova por razões sociais pode? Segundo o documento anexado, Dr. Plinio assistiu ao menos uma missa nova. Existem, portanto, algumas exceções? Dr. Adolpho cometeu uma abominação semelhante “aos cultos idolátricos da antiga Roma” (Con. Villac, RIP), assistindo a missa nova desse casamento (por sinal celebrada por Mons. João Clá), onde eu estava presente? Grato por sua consideração e educação. Isto sim é debate entre filhos da luz. Prometo me manter nesse nível, se fizer a mesma coisa.

        1. Prezada Letícia,

          Eu também agradeço sua resposta, acho que agora encontramos o nosso caminho. Com relação a questão se é ou não legítimo assistir a missa nova em circunstâncias sociais respondo com toda segurança: No meu parco conhecimento teológico, digo que NÃO! A missa nova é cismática e conduz a heresia. Se Dr. Adolpho assiste ou assistiu missa nova, pouco me importa, é a consciência dele. Terá ele razões para assistir tal missa? não sei e não é da minha alçada perscrutar o fato. Eu sei que Dr. Adolpho costuma ir a missa dos Melquitas, encontro inúmeras vezes com ele lá. Minha posição é a que Dr. Plinio tomou desde a mudança do rito tridentino para o novus ordo missae, por razões de consciência ele tomou uma posição clara de recusa a missa nova. Você me pergunta se é legítimo ir a um casamento onde se celebra uma missa nova. Assistir e participar da missa nova, nunca. Estar presente na cerimônia religiosa por razões sociais, não vejo problema. Se a um casamento em determinadas seitas protestantes, por razoes sociais, é legítimo ir, certamente deve é legítimo estar presente na missa cismática e “heretizante” do Concílio Vaticano II. Ademais, o fato de estar presente não significa, nem de longe, adesão ao novus ordo missae, repito, cuja missa é cismática e conduz á heresia. É bom também distinguir entre estar presente a uma missa nova por razões sociais de dar adesão total à missa nova que hoje e celebrada senão por todos, mas pela grossa maioria da Soc. Arautos do Evangelho.

          Com relação à fotografia que você mandou o link de Dr. Plinio assistindo uma missa nova, desculpe-me, essa fotografia foi adulterada. Eu copiei o link. Eu não acredito nesta fotografia. Estão enganando vocês. Mas para não dizer que eu sou um “doido” como já disseram por aí, eu vou pesquisar nos arquivos históricos vivos, pessoas mais idôneas possíveis, inclusive com Dr. Adolpho cuja casa eu frequento já mais de 15 anos, e depois lhe darei as respostas, ok?

          Não vá acreditando em fotografias porque são fáceis de serem modificadas. Pelo visto a fotografia é muito antiga, antes mesmo de 1962, embora a figura de Dr. Plinio esteja muito distante, a foto está em preto e branco, o que indica um passado distante. De qq jeito, vou verificar.

          Se for verdade, eu tenho absoluta certeza que haverá uma razão.

          Saudações cordiais e respeitosas

          1. Obrigada pela resposta.
            Bom, admiro sua coerência. O senhor sabe bem que o comportamento dos provectos em relação à assistência por motivos sociais à missa nova é bem diverso. Não é estranho vê-los assistir missas novas na Nossa Senhora do Brasil por essas razões (7º dia, etc.). Naquele dia que lhe comento Dr. Adolpho participou ativamente, comungou e não tomou nenhuma atitude para sinalizar sua recusa ao rito “cismático e heretizante”.
            Quanto à foto, confesso-lhe que a primeira surpresa fui eu quando recebi. É bem possível que seja alguma missa numa fase intermédia à plena implantação do novo rito, em que mesmo sendo ainda SPV, celebrava-se versus populum. Enfim, é algo interessante de se investigar, desde que a foto não esteja adulterada, coisa que não nego possa ser. Em nenhum momento enviei a foto para enganar.
            No meu modo de ver, e dos padres arautos, o suposto sabor heretizante da missa nova existe nos abusos litúrgicos praticados por inúmeros padres que se afastam descaradamente das rubricas do missal. É bom saber que as conclusões do estudo do defunto AX referem-se, principalmente, a apreciações de um teólogo arqui-progressista espanhol cujo pensamento, recolhido num livro da BAC, não tem nada de oficial. Vendo isso, o Sr. Dr. Plinio discerniu por onde eles queriam levar as coisas. Adicionalmente havia alguns absurdos na primeira instrução do missal, logo corrigidos devido ao escândalo que causaram. De resto, a missa nova, de si, gostemos ou não, não tem nada de herético, nem de heretizante. Todos os documentos a respeito dela mantém intacta a essência sacrificial, sem deixar de considerar as outras, já recolhidas por São Tomás de Aquino e, em geral, pela tradição da Igreja. Por outro lado, é patente que o novo rito celebrado com sacralidade apaga completamente toda a gosma horrorosa das missas que estamos acostumados a ver por aí.
            O senhor voltará, e com não pouca razão, às celebrações que alguns padres arautos tem que suportar por aí quando são convocados para celebrar em certas paróquias, como aquela do Pe. Glavan que mencionou antes. Aqui é preciso levar em conta uma realidade. O padre quando chega nesses cantos, não pode impor tudo. Mas a experiência mostra que onde um padre arauto vai celebrar com certa frequência, em pouco tempo mudam os costumes litúrgicos e as coisas começam a se acertar, o que termina sendo um estupendo apostolado. Quanto às missas celebradas em ambiente arautos 100%, basta assistir que, olhando com objetividade, não terá nada a objetar. Convido a que vá na Basílica do Rosário na serra um domingo às 17h, e opine com isenção de ânimo.

          2. Letícia, obrigado pela resposta, mas ouso discordar da senhora, não porque me sinto inteiramente apto a discutir questões teológicas relativas à validade da missa nova, salvo no estudo do falecido Dr. Arnaldo Xavier da Silveira, não só aprovado mas adotado, ipsis litteris, por Dr. Plinio como posição da TFP face a estrutura eclesiástica. Eu sou prova disso: uma vez um sacerdote conservador onde o pessoal da TFP comungava diariamente, por orientação de Dr. Plinio, entrávamos na Igreja, discretamente, só na hora da comunhão, reclamou da nossa atitude e procurou o encarregado local. Este encarregado consultou Dr. Plinio sobre o que fazer naquela situação. Este membro da TFP obedecia à risca as orientações dele. REsposta de Dr. Plinio: entreguem pessoalmente o livro do Arnaldo para o sacerdote e digam que é a posição que a TFP tomou em relação a missa nova. Para o secretário que leu a consulta, ao terminar a resposta ele disse: “Engulam com farinha”. Ou seja, que aquele padre conservador engula com farinha a posição da TFP. Depois acrescentou: assim que chegarem na Igreja, não fiquem esperando do lado de fora. Não entrem todos juntos. Entrem e aguardem a comunhão espalhados pela Igreja com discrição. Por tantas razões e por estar convencido com a argumentação do livro de Dr. Arnaldo ADOTADA por Dr. Plinio, eu dei absoluta adesão, não pelo Dr. Arnaldo que merece meu respeito e agradecimento pelo estudo teológico que nunca foi contestado, mas por Dr. Plinio Corrêa de Oliveira a quem desejo seguir até meu último suspiro, mesmo com as minhas misérias e pecados.

            Esta a minha principal objeção em relação ao Monsenhor João Clá que adotou a missa nova e colocou a “canga” no pescoço da estrutura eclesiástica. Coisa que Dr. Plinio sempre recusou para não ficar atado com votos. Dr. Plinio sempre disse para seus filhos: a estrutura eclesiástica é a fina ponta da revolução gnóstica e igualitária.

            Aliás, esqueci de declarar minha grata satisfação pela sua posição anti-igualitária a respeito das elites tradicionais, famílias antigas, que objetei. Peço perdão pelo mal juízo que lhe fiz.

            Muito lhe agradeço sua resposta. Sinceros respeitos.

          3. Imagino que se referirá à liceidade, e não à validade da missa nova. A validade acho que é ponto comum entre nós, caso contrário, o senhor e ninguém da TFP comungaria nela.
            Algo no qual concordará é que, a despeito desse fato narrado, em inúmeras outras ocasiões, conforme a conveniência estratégica, diplomática ou outras, o Sr. Dr. Plinio adotou posições de maior transigência com a missa nova. Não vamos nos estender neste ponto, mas os documentos seriam inúmeros. Ele até mandou membros do Grupo acolitar missa nova na Sede do Reino de Maria para sacerdotes visitantes, etc. Estes fatos demonstram, portanto, que a atitude de beligerância não era absoluta, nem exclusiva, mas que tinha considerandos. Da mesma forma, as orientações sobre o modo de proceder para comungar na missa nova também estavam sujeitas a mil variantes. Por fim, são inúmeros os textos a provar que, já mais próximo do fim da vida, o Sr. Dr. Plinio alimentava dúvidas quanto a tudo isto. Não é de estranhar, se a posição era fundamentada essencialmente no estudo do Dr. AX, o qual adoece de muitas lacunas doutrinárias.
            Em definitiva, essa variedade de atitudes demonstra que o tema missa-nova não era tão absoluto quando o quiseram apresentar como cavalo de batalha contra o então Sr. João Clá. Demonstra a existência desta flexibilidade o fato de o grupo da França, de sobra sabido pouco afeito ao Sr. JC, assistir missa nova com toda solenidade durante suas peregrinações no Leste Europeu no verão de 1997, fato que, sendo passado em vídeo na RR no auditório, deixou em maus lençóis os que tinham criticado por isto ao Sr. JC, obrigando-os a uma ridícula retratação e reparação na semana seguinte.
            Por tudo isso, julgo que a tomada de posição de Mons. João e os arautos sobre o tema não contradiz em nada tudo o que o Sr. Dr. Plinio ensinou, pelo contrário, tem sido uma ocasião única de fazer Contra-Revolução, nas tendências, mas ideias e nos fatos, em lugares tão privilegiados como o púlpito e altar. No púlpito, todas as semanas, são proclamadas as glórias do Sr. Dr. Plinio com a eficiência que nenhum outro lugar pode ter para penetrar nas mentalidades.
            Quanto à “canga da estrutura”, na realidade tem permitido ao Grupo (entendido como os Arautos) agir com toda liberdade e com a inigualável chancela de que dota a pertença à Igreja oficialmente enquanto instituição. E o suposto peso da canga tem sido, com certeza, muito mais leve do que as mil dificuldades de sustentar uma instituição com um caráter interno religioso, mas constituição civil. Aliás, realizar isso, não foi senão realizar um antigo e sempre mantido desejo do Sr. Dr. Plinio, que sua obra estivesse dentro da Igreja. Aí estão os textos a testemunhar. Sim, muitas vezes o Sr. Dr. Plinio disse o contrário, mas não quanto ao desejo, mas sim quanto à inconveniência no tempo por estas ou aquelas circunstâncias. Os fatos, na vida quotidiana dos Arautos, demonstram o acerto de ter entrado no caminho de tentar realizar esse velho anseio de nosso Pai e Senhor.

  5. É eu acho que não adianta ficar tentando explicar para o suposto Leonardo mais porque ou ele é completamente desvairado mesmo ou um fake desvairado também é claro. Somente vai servir para ver que existem vários lunáticos contra os Arautos. Pelo ódio sem motivos e pelo nível psíquico dessas pessoas daí já se vê o quanto eles são bons! Agora não é por nada não, as respostas do Eliseo foram boas mesmo. Você tem razão Cláudia eu vou acompanhar outras quando tiver também..

    1. Ludmila, eu não entendo porque voce escreve “suposto”, “fake”, “desvairado”. Eu entendo que a palavra de origem inglesa “fake” usa-se para notícia (news) falsas. No que escrevi, o que há de notícia falsa no seu entender? Explica pra mim.

      1. Boa tarde! Explico-me aqui, mas espero que não julgue que estou te humilhando. Para ficar melhor veja a definição posta no Wikipedia: “Fake é um termo usado para denominar contas ou perfis usados na Internet para ocultar a identidade real de um usuário…
        Sobre notícia falsa se diz, fake news. Espero que tenha lhe ajudado.
        Agora se me pergunta o porque do desvairado, é porque vi você tentando debater com vários, mas sobretudo com o Eliseo, você tentou ridicularizar e saiu por baixo de maneira vexatória, pois não ganhou nem na lógica nem na tentativa de debochar. Para mim você fugia do cerne da discussão com a Letícia e com ele. E o que achei mais estranho era você utilizar termos pejorativos nas mensagens (psicopata, xiita, petista) e depois dizer que não ia argumentar porque não tinham nível, estavam fazendo vitupérios. Isso não concordo, eles estavam indo no seu nível. E agora parece (não estou afirmando) que você está com medo de entabular discussão com o Eliseo.

        1. Ludmila, voce não acompanhou nem
          Minhas mensagens a sua colega, como também não leu as mensagens do Eliseu dirigidas a mim. Se leu releia pois não prestou atenção, você se convencerá que foi ele quem baixou o nível nas trocas de mensagens que, na verdade, não me atingiram em absolutamente nada. E mais, eu o perdoo pelo palavrório mal educado dele. No termo popular eu diria, o que vem de baixo não me atinge. Mas não quis dizer porque, primeiro que não o conheço, segundo porque acho que ele não tem muita culpa, não vou me estender. Fico por aqui. Deu-me impressão que a intenção principal dele foi agradar as pessoas do twiter que acompanhavam nossas trocas de mensagens, entre as quais Você. Tampouco vou perder meu tempo de elencar aqui as ofensas pessoais (sem me conhecer) do seu colega de twiter. Preste atenção nas minhas mensagens a maior parte das críticas ae resumiram a criticar a instituição por desvios públicos e notórios a tal ponto isto é verdade que a “Arautos do Evangelho” doi submetida a investigação da Santa Sé.
          Obrigado por sua resposta. É como alguém disse aqui: ao menos respondem e não se acovardam. Nisso tem meus parabens!

          Quanto a voce, também não conheço.

          1. Agora Leonardo fui eu que não entendi, e as li e julgo ter entendido perfeitamente. Segundo a Letícia ainda não é minha colega. Você faz afirmações erradas e julga as coisas de forma que não são (exemplo a questão do fake lembra?). Sobre a discussão você não respondeu porque não deu nenhuma prova cabível. Li todas as mensagens e por isso lhe escrevi. Você não respondeu, você deixou com o Eliseo e a Letícia assuntos abertos. Infelizmente não posso concordar com você. Aliás, outra coisa porque você diz que o problema é a análise do Vaticano se relata aqui o problema da estrutura? Então pode se dar crédito a estrutura cegamente? Sobre as discussões não adianta dar voltas porque não se muda a realidade, sobre essa questão da estrutura aguardo seu parecer.

          2. Lembrando que no passado a Estrutura sempre arranjava “fatos” contra a TFP, que eram desmentidos. Nem por isso ela desmerecida entre nós, mesmo com egressos apoiando as acusações. Como os Arautos já fizeram também acusações, foram respondidas. Porque agora tem que ser desmerecida a instituição? Agradeço pela resposta.

          3. Também não é ainda minha colega de Twiter (pelo menos ainda), mas tirando isso de lado, e minha pergunta sobre a estrutura? Vai responder ou vai fugir do assunto como de tantos outros?

          4. Não estou me lembrando sua pergunta. O que voce quer saber sobre a estrutura eclesiástica, no entender de DR. Plinio, a fina ponta da revolução? Me diga o que voce quer que eu reaponda sobre a estrutura.

          5. Basta ver no comentário que coloquei a pouco. Você não se lembra? Não está conversando comigo? Dá uma olhadinha por favor nos meus comentários, faz isso por mim, não deixe eu entender que estamos conversando sobre algo que você não sabe o que é, pois como confiarei nas suas respostas?

          6. Uai, parece que voce também esqueceu da sua pergunta. São tanats mensagens que vou perder um tempo enorme para encontrar sua pergunta acachapante, irrespondível! Por favor!

          7. Nossa, não foi você quem disse que tem nível para conversar que trata com educação, e agora então quando não acha a pergunta já a julga irrespondível. Onde está a lógica nisso? E ainda diz que ela é acachapante? Você sabe o que significa acachapante? Vou dar o significado: que é esmagador; acaçapante, irrefutável, indiscutível. Muito obrigado pelo elogio, mas se é acachapante porque não reconhece que você está defendendo o erro?

          8. Voce não entendeu o gracejo e esta tentando apresentar-se como professora de 1o grau pesquisando no google sinônimos das palavras. Que baixa de nível!

          9. Leonardo respondendo sua mensagem sobre que você disse que utilizou sinônimo, somente piorou a situação, pois sinônimos são palavras diferentes que tem o mesmo significado, portanto o mesmo significado de acachapante e irrespondível. Agora, com toda educação, se você não sabia o que é fake, não sabia escrever reescrevas, porque eu não acreditaria que você não sabe o que é acachapante? Espero que você me responda educadamente, pois estou sendo educada, por favor. Nas suas últimas mensagens você já começou novamente a distratar. Espero resposta.

          10. Outra coisa que não está claro nos seu textos Leonardo: é a Santa Sé ou a Estrutura? Porque para nós você sabe tem sentidos diferentes.

          11. Geeeenteeee sério mesmo, vocês não estão vendo que o pobre Leonardo não consegue responder nada não. Além de brigar até conosco (as mulheres), até agora saiu apenas coisas sem sentido que ele mesmo vai mudando. Não conseguiu debater com ninguém. Vamos deixar ele de lado que ganharemos muito mais. Ou então esperar alguém mais sério para começar uma discussão de bom nível com vocês.

          12. Então, você ainda não me respondeu… Você se baseia nas acusações do Vaticano. Você está dando crédito a estrutura? Outra pergunta, você costuma falar de clareza, o que devo entender de “Quem deu crédito a Bento XVI foi o Monsenhor. Ele sabe dos erros que voces cometeram.” Devo entender de Bento XVI ou de Monsenhor. Porque se for de Bento XVI não entendi sua lógica. Ele fez elogios rasgados aos Arautos recentemente (viu a revista?) Se for de Monsenhor, aí não entendo o seu pensamento.

          13. Eu escrevi que quem deu crédito a Bento XVI foi o Monsenhor JC. Isso que eu disse. Dr. Plinio muito antes do Cardeal Ratzinger ser eleito Papa, ja denunciara o jogo do Cardeal, comentava a Revista 30 Giorni. Ele denominava de “manobra Ratzinger”. Ou voces acham que Bento XVI é um leão do conservadorismo?

          14. Muito obrigado pela resposta, mas ela não tem nexo, e ainda não respondeu, porque quando lhe perguntei então se “você se baseia nas acusações do Vaticano? Você está dando crédito a estrutura? ” você contestou então que Bento XVI sabe dos nossos erros, mas agora diz que ele fazia o jogo da estrutura. Mas Bento XVI elogiou os Arautos e isso saiu até na revista com tiragem em 4 línguas. E mesmo que fosse absurdamente como você disse pergunto pela 4 VEZ: você se baseia nas acusações da estrutura?

          15. Eu me baseio nos fatos concretos que ja descrevi, e não na estrutura. Tais fatos, apesar de ocultados, tornaram-se públicos por um ex-arauto que estava presente nos exorcismos que foram filmados e exibidos ao público. Estes os fatos. Agora, Da estrutura só sei que os Arautos estão sob investigação da Santa Sé, ou isso não é verdade? Se foram condenados ou não desconheço qualquer resultado.

          16. Respondendo ao ‘Alguém’. Os exorcismos não se tratam de ‘fatos ocultados’, e sim de fatos da vida privada, que somente foram expostos pelo ‘apetite de escândalo’ que uns renegados adquiriram nas redes sociais.
            As irmãs que estavam lá declararam-se profundamente ofendidas com a divulgação, e cientes de que o sofrimento delas foi usado para interesses completamente hipócritas.
            Aqui nesse blog ainda vamos colocar uma LAVADA de textos especificamente sobre a questão desses exorcismos.
            Obviamente farão de conta que não leram, mas será colocado aqui. Aguarde.

          17. Se os exorcismos estão de acordo com as regras da Santa Igreja, porque um Arauto filmou escondido e denunciou aos pais das meninas e a Santa Sé? Será ele um renegado condenado ao inferno porque denunciou? Ou terá cumprido sua obrigação? É obvio que aqueles exorcismos com tapas no rosto das “possessas”, berros esquisitos do exorcista, abraços sentimentais não estão de acordo com a tradição. Veja o exemplo de Nosso Senhor!

          18. Gente deixe o Leonardo coitado, não perceberam que ele vai se enrolando com as respostas e não quer desistir. Não adianta, ele vai se embromando cada vez mais e não vai desistir.

          19. Se quiserem desistir é direito de voces. Só dois de voces responderam algumas afirmaçõea minhas, o resto foi só impropérios.

          20. Leonardo, vamos deixar o debate dos exorcismos para quando for publicada a matéria. Vai ser muito mais construtivo e garanto que o senhor terá surpresas. Quem não esteve por dentro não tem menor noção do contexto em que os fatos se deram. A divulgação… pfff, o senhor lembra do Mutuca, do Pedriali, e de um grande etcétera. Essa progenie não acaba não…

  6. Gostei do Eliseo, você deveria ser analista de política também porque as respostas são animadas. Pelo visto o Leonardo não vai procurar mais né… o rapaz é malucão 🤪mesmo.

    1. Ele não entendeu nada ou é fake, não é possível ser tão ignorante assim. Vivi nos arautos anos e anos e saí por não me achar apta a vida religiosa, mas acho que ele saiu por falta de capacidade.

      1. Realmente perderam o juízo mesmo. Como eu poderia sair se nunca entrei??? 😂🤣😂🤣

        Como conheço tão bem o que se passa lá dentro? Voce deve se perguntar. Claro que não cou te contar. Nem precisa! Os fatos são notórios e conhecidos de muita muita muita gente. E contra fatos concretos não adianta chorar.

    2. Ludmila, diga pra mim, que pessoal louco que fala nada com nada voce se refere ao me comparar? Voce esta precisando voltar para os bancos do primeiro grau. Não dá para entender o que voce escreve! Qual a sua idade?

      1. Leonardo, não é a primeira vez que demonstra a sua dificuldade em entender o texto escrito. A Letícia já lhe disse a mesma coisa, lembra? (A questão da compreensão leitora)…
        Mas não querendo ser sem educação, estou perguntando apenas para esclarecimento, a penúltima mensagem que você me pediu para te dar uma satisfação você ainda não fez nenhuma ponderação. Isso é o que me preocupa também, você está deixando os assuntos sem resolver. Fui clara? Precisa que eu explique melhor? Tudo de bom.

        1. Escrevi seu nome como portador da mensagem, mas para corrigi a mensagem que começa com “leonardo, não é a primeira vez que demonstra a sua dificuldade é minha LUDMILA.

  7. É Leonardo não tem jeito hein, é mais fácil você reconhecer o que esse Eliseo está dizendo. É mais fácil ser humilde e honesto que tentar dar voltas não é mesmo?

      1. Então Leonardo continuando a responder a sua última mensagem digo o seguinte: sobre se a carapuça serviu digo-lhe que quem busca a verdade não costuma utilizar algo para velar o outro pois gosta de franqueza e busca esclarecimento👺 e gostei de ver você pugnar para tentar mascarar alguém, pois aí vemos que a sua intenção é apenas pechar a outros ao invés da busca da verdade. Sobre o fato em concreto, vi que realmente você defende princípios(sic), pois pensei que você iria reclamar algo contra os arautos de fato, mas não contra as meninas ( que você diz mal vestidas) e o tocador de violão. Se ao menos você dissesse que foi o sacerdote quem escolheu os adendos litúrgicos… E com o meu “farisaísmo” lhe pergunto: se havia problema lá o que você foi fazer na “Missa pelo rito Vaticano II” com “meninas mal vestidas” ?… 😬Espero que quando assistas as do rito São Pio V, não fique com a atenção em outras coisas… Sobre o “fato documentado, do processo liberte, egalite, fraternite que você sequer teve o trabalho de desmentir,” peço-lhe que demonstre – se conseguir – onde você me questionou para responder-lhe sobre esse tal processo que ainda desconheço. Se não achar fique tranquilo, eu sei o motivo, é porque pessoas com psicose ou paranoia constumam conversar, ouvir e discutir com pessoas criadas pelas suas alucinações… Sobre como sair desse “grupo” tenho uma novidade para lhe esclarecer: você não entrou em nenhum, isso aqui é um blog🤭; talvez você não saiba o que é isso e para não ficar longo esse texto digo que é simples: basta fechar o navegador do seu celular ou computador (traduzindo, apertar o x que aparece na tela). Se tiver mais algum fato dos arautos fico lhe aguardando (traduzindo sobre a instituição ou os membros, não sobre a vizinhança, não sobre quem os visita, sobre a padaria que eles compram pão, etc..). E se contra fato não há argumentos pelo visto, mais uma vez você ficou perdido hein…😂A é bom deixar uns kkk na sua próxima mensagem, pois como explicam muitos psiquiatras e psicológos, quando um doido se sente pego a única saída é o deboche… Está vendo estou tentando te ajudar hein…

        1. Quanta tolice! Realmente não há o que fazer por voces, donos da “verdade”… kkk não há o que fazer nem mesmo com egressos, ex-arautos, ta tudo perdido.

          Tudo começou com a consulta de uma pessoa (um ex-arauto?. Não sei) se estaria condenado no inferno porque saiu s religiosa Arautos. Realmente fiquei penalizado e constatei que a pressão psicológico-religiosa continua, ou fica, ou se condena. Absurdo dos absurdos!! Até suicídio aconteceu lá dentro. Nem pretendo mais ler essas tolices.

        2. Eu quis certificar que um padre dos mais antigos da s Arautos celebrava missa nova. Nao fui assistir aquela abominação. Quanto às moçoilas mal vestidas que entraram na nave central da Igreja portando as espécies para serem consagradas, foram escolhidas a dedo pelo celebrante do Arautos do “ Evangelho”.

          1. Aí Leonardo as suas mentiras já estão ridículas demais rapaz, todos já percebemos que você é um desiquilibrado que fica pulando os assuntos, deixando tudo mal resolvido, tentado ofender as pessoas e jogando para o alto acusações esfarrapadas. Então vou te dar uma sugestão: engula tudo, saiba que a “verdade” não se inventa (não adianta mentir dizendo que o Pe. Glavan escolheu a dedo, pois isso não costuma ser função de nenhum sacerdote nem mesmo aqui fora); não adianta dizer “Eu quis certificar que um padre dos mais antigos da s(sic) Arautos celebrava missa nova”, pois eles sempre celebraram a Missa do novo Rito. Também não adianta tentar começar uma discussão sobre rito, pois já atestamos que você não tem aprumo intelectual. Não adianta começar outra enrolação com a estória “tudo começou com a consulta de uma pessoa…”. Coloque sua viola no saco e saia de mansinho. PELO O QUE ENTENDI DA PROPOSTA DESSE BLOG, AQUI NÃO TEM ESPAÇO PARA FANFARRÕES E MENTIROSOS. Ainda mais no seu caso de aparente desequilíbrio.

          2. Continua o vitupério desmedido e ofensivo. Eu disse que o Padre é da sociedade Arautos do Evangelho e se chama Padre Glavan. O show na Igreja eu vi e contei como vi, fiquei escandalizado principalmente com a missa nova rezada pelo padre que durante décadas e décadas recusava assiatir missa pelo rito novo, segundo o teólogo de renome internacional Dr. Arnaldo Xavier da Silveira, cujo trabalho Dr. Plinio mandou para todos os bispos do Brasil como posição da TFP face a missa nova. Então eu não entendi como uma pessoa antiga poderia mudar de opinião tão radical. Dr. Plinio teria se equivocado em relação ao Concílio Vaticano II e à missa nova? Vamos elevar o nível, não estou ofendendo ninguém. Será que um “desequilibrado” pode incomodar tanto assim?

          3. Olá! Estamos de volta. Vimos que o dia foi movimentado aqui… Aproveitando para um aparte: dizer que Arnaldo Xavier foi ‘teólogo de renome internacional’ é meio exagero né. Até onde sabemos ele era advogado. Ele fez um estudo sobre o ‘Novus Ordo Missae’, bem escrito até, mas que Dr. Plinio nunca levou a público.
            Com relação à missa, Dr Plinio disse que o grande problema era o fator dessacralizante que deram a dela. Então se um padre der sacralidade a esse rito, o problema está teoricamente superado. Afinal, nos primeiros quinze séculos da Igreja nem sequer existia o rito tridentino. No século II, por exemplo, a missa consistia em ‘leituras dos Apóstolos e dos profetas’, exortação, oração eucarística, comunhão e partilha de bens.

          4. O estudo do Dr. Arnaldo foi traduzido para o inglês, francês, italiano e espanhol. Foi mandado para o Vaticano e para todos os bispos do Brasil. O documento é público, só não foi mais difundido a pedido de joelhos do Cardeal Dom Vicente Scherer.

            A missa nova, segundo o documento que nunca contestado, é sismática e com sabor de heresia. A questão da dessacralização da missa existe sim e é importante mas não é o problema principal a tal ponto que Dr. Plinio nunca assistiu essa missa e se recusou publicamente de assistí-la, enquanto os S Arautos deram absoluta adesão ao Concílio Vaticano II e à missa nova.

            Agradeço a sua maneira educada de trocar estas mensagens comigo, bem diferente de outros ex-arautos aí que partiram até para a ofensa pessoal.

          5. Se preferir que eu pare de trocar essas mensagens com voce, eu encerro por aqui mesmo. Confesso que qdo eu recebi o e-mail de voces apresentando-se como ex-arautos e a pergunta de um de voces sendo egresso iria para o inferno, eu achei um absurdo. Assim
            Começou nosso diálogo escrito. Mas, se preferir eu encerro por aqui mesmo. Mas veja se deixa de partir para a ofensa pessoal. Sursum corda!

          6. Rapaz você está passando os limites da loucura, leia as mensagens de Leonardo aí ( talvez nos momentos de crise você esqueça que utilizou esse nome) e veja quem foi o picante e ofensivo. Que você seja extranho alucinado eu até entendo e lamento, agora hipócrita tangiversador não dá, não é mesmo? Aliás outra novidade importante para você é que está conversando com várias pessoas ao mesmo tempo, pois eu não sou responsável aqui e acho que os outros que comentaram também não. Pelo visto todos até agora discordam de você, mas precisa aprender a ler o nome de quem lhe contesta antes de responder e confundir os procedimentos dos outros. Isso é o básico… Eu não te enviei nenhum email, seja honesto e não fique inventando as coisas e imputando aos responsáveis desse blog… Releia aí as suas mensagens e tente por em ordem suas ideias. E não adianta agora se dar de injustiçado e ofendido e ficar pulando de galho em galho sem resolver os assuntos até o fim.

          7. kkkkkkkkkkk

            Só dando risada mesmo. Quem não tem argumento apela para a ofensa e o vitupério. Voce não sabe discutir mesmo, perdeu a razão. Deve ser um petista ou xiita da S Arautos dos Evangelistas perdidos. Kkkk

            Tchau 👋🏻

          8. Só dando risada mesmo. Quem não tem argumento apela para a ofensa e o vitupério. Voce não sabe discutir mesmo, perdeu a razão. Deve ser um petista ou xiita da S Arautos dos Evangelistas perdidos. Kkkk “Desequilibrado não se escreve com i, é com e”.🤡
            Muito bem argumentando a seu favor, percebi a classe e o voo do sua lógica, realmente acho que você trata as pessoas com respeito tratando somente das doutrina e fatos… Parabéns…🙊
            Acho que as pessoas não estão respondendo a altura da sua argumentação…🤤

        1. Então Leonardo, consegue tirar alguma coisa razoável de si, pois se continuar nesse nível de baixaria vamos ter que chamar algumas mulas ou outro animal irracional para tentar entrar no seu tipo de comunicação.

          1. Quem está ofedendo o tempo todo é voce. Não escrevi nenhuma ofensa a ninguém aqui e se o fiz de antemão peço desculpas. Sua maneira de responder ao objetante é bem a la monsenhori, de quem não tem berço. Eu lamento e sinto por voce não ter tido formação suficiente para lhe dar com as pessoas. Acho que voce deveria voltar para as pessoas de seu nível. Voce não é exarautos é um típico arauto da ignorância.

          2. Leonardo, a sua situação está grave, vamos analisar a sua última resposta: você pede desculpas pelas ofensas passadas de “antemão”, continua ofendendo outras pessoas que estão a parte de nossa contenda, e tenta lançar para mim a pecha de “arauto da ignorância”? Como você pode constatar – ao menos um ser humano de inteligência básica constataria – que o único ignorante e displicente com a realidade se chama… Mas enfim, vamos continuar. Você pode atender ao meu pedido de dizer algo razoável sobre a nossa discussão? Ou seja, fatos ou dados concretos sobre o que você defende? Tenta aí vai.

          3. Agora fala em polidez… kkkkk

            Quem foi que ofendi em minha última mensagem? A carapuça serviu?

            O que voce deseja? DEclare o que quer que eu diga para agradar seus ouvidos. Que um ex-arauto é o dono da verdade? Infelizmente Não dá, seria negar a verdade.

            Posso lhe contar um fato concreto para o ex-arauto avaliar: eu entrei na igreja onde o Padre Glavan estava celebrando uma missa pelo rito concílio Vaticano II. Na hora do ofertorio eu vi umas mocinhas mal vestidas levando as espécies para serem consagradas ao som de violão… sabe quem é o Padre Glavan? Eu tenho inúmeros casos para relatar, mas sua má fé farisaica arranjará uma “razão” para justificar o injustificável como por exemplo o argumento concreto, fato documentado, do processo liberte, egalite, fraternite que voce sequer teve o trabalho de desmentir, não dá mesmo, contra fatos não há argumentos. Abraços!

            Como faço para sair desse grupo? Não vou ficar atirando pérolas aos… vamos dizer assim, aos fariseus, para ser polido… kkk

          4. Me conte apenas a sua versão do “caso Lívia Natsue”. Só isso, saber o que conhece um ex-arauto. Por favor. 🥺

          5. E o que você conhece, menino, só os boatos que correm por aí sem qualquer fundamento na realidade. Para sua informação, todas as tentativas de transformar esse caso num cavalo de batalha foram frustras por faltas de fundamento, inclusive as artificiais denúncias, que já foram arquivadas.

          6. O vitupério continua. Não sabe manter nível mínimo no que escreve. Menino… só faltava essa! Porque não se preocupa em desmentir os fatos que ouvi? Vove reclamou que eu não relatava fatos concretos. Contei uns dois ou três e agora partiram para o xingatório e para a ofensa moral. Com quem esta a razão?

  8. Eliseu Roberto, na sua ingenuidade e boa intenção talvez voce tenha conseguido ver os “fatos concretos” a que vc se refere em resposta a mim quando mencionei o psicopata. Abra os olhos que voce verá fatos aos borbotões. Diz a Escritura que o pior cego é aquele que não quer ver.

    1. KKK realmente cômico as suas tentativas de escapar aos pedidos… Talvez você tenha dificuldade com o português escrito… O pedido é para você enunciar algo em concreto ( ou pode ser inventar alguma mentira ridícula, o que pelo visto, pela sua falta de dados e inação para transmitir fatos dá no mesmo). Tente pelo menos. Ou então se não consegue, tente ao menos ser homem de verdade e reconheça que quando não se tem o que acusar, deve-se calar o espírito de inveja.

  9. Tenho uma pergunta é verdade que quando um arauto sai ele vai por inferno por ser um desertor? Pois conheço jovens que sairam e continuam com uma vida piedosa ñ participam mais dos arautos .
    Poderia explicar por favor.

    1. Olá Luis, se for assim, nós aqui da redação do blog estamos todos lascados.
      O que acontece é que, quando alguém abandona um grupo, fica meio ‘queimado’ mesmo – mas é assim até entre grupos políticos, times de futebol, sindicatos, etc. Normal.
      Com relação à salvação ou condenação, aí só Deus resolverá, mas certamente facilitará se continuarmos usando tudo que Ele dispôs para ajudar, principalmente oração e sacramentos. Afinal, continua válida aquela frase de Cristo: “A quem muito foi dado, muito será cobrado”.
      Esse artigo aí acima não diz respeito a qualquer ex-integrante, mas sim àqueles que jogaram no lixo tudo que defendiam antes, tornando-se inimigos declarados – e pelo visto esse não é o caso dessas pessoas que vc conhece.

    2. Peraí Luis. O problema de muito ex-arauto aí é que pensa que essa questão dos dez mandamentos, etc., era só dentro dos arautos. Aí, sim, tem uma boas possibilidades de ir para o inferno segundo o ensinamento da doutrina católica. Já se saindo, continuar a ser um bom católico, digamos que, com todos os riscos, o não ir para o inferno fica mais fácil. Deus é misericordioso e dá graças até o fim. Entretanto, alguns jogam no lixo com a maior sem-cerimonia. Atualmente, os arautos acompanham com amizade aqueles que saem pelas mais diversas razões, mas querem continuar a ser bons católicos. E, obviamente, deixam cada qual seguir a vida que quer.
      Outro ponto é que a doutrina católica ensina que Deus dá menos graças àqueles que, mesmo seguindo um caminho bom, não seguem sua vocação. Mas isto não impede a sua salvação. Além do que, convenhamos que há muito tempo nos arautos tenta-se discernir o quanto antes o quando tudo indica que a pessoa não tem vocação para a vida religiosa e tenta-se ajudar e acompanhar. Tudo isso, os do outro lado fazem que ignoram, mas há muito anos que as coisas são assim.

      1. Eu tenho certeza que quem sair dos Arautos terá muito mais chances de salvar a própria alma e quem ficar muito provavelmente perderá sua alma, salvo pessoas que desconhecem os motivos pelos quais Pe. João Clá traiu a TFP entregando-a à barra dos tribunais e a estrutura eclesiástica.

          1. Voces não estão lutando contra nada não, deixem de se acharem os salvadores não da pátria, é do mundo! 🤣. Isso é loucura total!

          2. Foi uma alegoria, óbvio!! Não estamos lutando contra nada, estamos apenas defendendo pessoas. Agora, se vc quiser se colocar ao lado de Fedeli e dos outros, sinta-se à vontade para nos infernizar. Teremos imenso prazer em ter mais um contendor. Pelo menos você é corajoso e conversa aqui, ao contrário desses outros oponentes que simplesmente somem quando são confrontados.

          3. De Fedeli, de Mons. João Clá, de “O Estado de S. Paulo”, de a “Globo”, de Arautos e apaniguados preferiria nunca ouvir falar, tudo isso serve uma mesma causa, são farinhas do mesmo saco. Gostei do “Ex-Arautos” porque julguei tratar-se de pessoas lúcidas por terem abandonado aquela seita que está sob investigação da Santa Sé por fatos ocorridos intra muros, como exorcismos com espancamentos no rosto de mocinhas “possessas” que se “convertem” quando são tocadas pelas mãos de uma certa pessoa e abraçadas quando a “possessa” está de joelhos na frente do “exorcista”.

            Mas eu não estou aqui para infernizar a vida de ninguém, pode cancelar meu registro ou ingresso no site de voces.

            Desejo-lhes muitas felicidades e que Nossa Senhora faça-os ver a realidade. Quero a todos o bem.

            Saudações!

          4. Você disse acima que o Mons. João ‘entregou a TFP à estrutura eclesiástica’, e agora vem falar de ‘investigação da Santa Sé’. Não seria ‘investigação da estrutura’?
            Quanto aos exorcismos, claro, todo exorcismo é feio de se ver. Mas não tem nada de ‘intra-muros’ mais, aquilo já rodou toda a Via-Láctea. Só não sabíamos da história da ‘conversão’ pelo toque, realmente a imaginação da oposição é desenfreada.
            Mas aguarde que vamos fazer posts sobre isso também. Só estamos esperando um email.

          5. Bem argumentado! Sim falei da investigação da Santa Sé enquanto instituição porque a questão do exorcismo extrapolou todas as regras da Igreja Católica, Apostólica, Romana, só para falar de exorcismo, hein. De fato é estrutura sim, mas não lhe tira o direito de investigar desmandos na entidade religiosa sob obediência atrelada à estrutura eclesiástica por vontade livre de coação ou constrangimento.

            Quanto aos supostos “exorcismos”, eram intra muros sim, não tinham autorização da estrutura a qual se entregaram para atar-lhes até o pescoço por livre e expontânea vontade à revelia de Dr. Plinio que jamais quis por a canga no pescoço devido ao progressismo e comunismo da estrutura eclesiástica, salvo raríssimas exceçõea.

          6. Não foi bem assim com relação aos exorcismos. Eles não eram do tipo ‘solene’ que precisa da autorização eclesiástica. É um assunto problemático igual a questão do culto, e que precisa ser ‘destrinchado’ sem carga emocional.
            Estamos organizando aqui um material a esse respeito, talvez em alguns dias já saia algo.
            Com relação a deixar a hierarquia colocar a canga, aí é outro assunto… pode ter tido suas desvantagens, mas teria que colocar na balança os prós e contras. Na nossa opinião, só a quantidade de missas, confissões e de extremas-unções que já foram ministradas já fizeram valer a pena a ‘canga’ no pescoço,

        1. “Leonardo” acorda para a vida… Será que você poderia fundamentar os seus comentários ou então procurar um bom psiquiatra para lhe ajudar a vencer as suas frustrações consigo mesmo, pois senão você somente fará o ridículo de falar asnices despropositais e cômicas…

          1. Eu estou acordando para a realidade que acontece no “Tabor”, um que pergunta se um egresso vai para o inferno, outra que é venerada como santa, filha de pais separados que é proibida ver a mãe nordestina, que “morre” misteriosamente, antes em estado depressivo que a levou ao suicídio e transformada em santa com distribuição de reliquias e proibição dos pais entrarem na “sela” que foi transformada numa espécie de capela sagrada intocável… esquisitíssimo!

            Deve ser intriga da oposição né?

          2. Sobre o egresso que vai para o inferno, já foi falado encima… De outra que é venerada como santa, que tem de ruim de ter devoção a uma pessoa de vida exemplar? Você é protestonto? Qual o problema de ela ser filha de pais separados (não vou entrar aqui nas razões, que a própria Ir. Lívia contou-me)? Nunca foi proibida de ver a mãe (tem inúmeros documentos disso (fotos, vídeos), de encontros com ela até pouco tempo antes do falecimento). E quem inventou que os pais foram proibidos de entrarem na “sela” (sic!!!)? O dia do funeral, para sua informação, eu mesma encaminhei à mãe para a “sela” (SIC!!!) onde ficou o tempo que quis rezando e “conversando” com sua filha (parece que ela é meio espírita). E nunca houve qualquer bloqueio para a mãe voltar lá. Esquisito é o que lhe contaram, e que você deu por certo. Eu também achei esquisito que um cooperador da TFP andasse de sunga, sozinho, na praia de Copacabana em 2001, mas não sei se é real… é o que me contaram. Seu nome era Leonardo. Pelo jeito pessoa meio desocupada…

          3. Que insanidade essa agora, partindo para a ofensa moral. É melhor se confessar, caso contrario, vai para o inferno mesmo. E de gente que se diz católica… Se partiu para acusação moral é porque o que foi dito doeu, é verdade. Sobre os fatos que contei, tomei conhecimento através de pessoa idônea, que presenciou e continua presenciando as coisas la dentro. Não inventei, seria impossível inventar fatos tão reais, daí o seu ódio porque a verdade incomoda. Um abraço!

          4. Letícia , foi como o Leonardo disse a verdade incomoda, ele mente e quando encontrou com uma pessoa que sabe de coisas concretas que esteve presente em vários fatos, simplesmente tenta dizer que foi informado por alguém que “continua presenciando as coisas lá dentro”. E ainda como argumento utiliza “seria impossível inventar fatos tão reais”, ou seja, ele não viu, ele OUVIU uma narração e os fatos são “tão reais”… Sem comentários…

  10. E quando o apóstata se deixa liderar por um psicopata preconceituoso social só se pode esperar o absurdo, o estapafúrdio. É o caso que vimos desde 1995.

    1. Caro “Leonardo” pelo visto você sofre o problema de fazer acusações de baixo nível intelectual, sem capacidade ao menos de utilizar argumentos confirmados com dados concretos ou fatos. Ou talvez não tenha conseguido fazer a interpretação do texto acima. Se precisar de ajuda coloco-me a sua disposição.

        1. KKKKKKK, continua exercendo a sua debilidade de fazer vitupérios sem sentido, apenas para fazer arruaça ou aparecer. Ah, perdão se não entendeu o linguajar próprio para pessoas que buscam discutir com polidez e educação, de uma olhadinha em um dicionário ou manual de educação para entender o que pretendi lhe informar. Mas reitero o desejo de lhe ajudar ao menos a ser claro em suas proposições…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.